BrC define com Estados a Psicultura como projeto piloto do Modelo Integrado Assistência Técnica e Extensão Rural

BrC define com Estados a Psicultura como projeto piloto do Modelo Integrado Assistência Técnica e Extensão Rural

A proposta ainda depende de aprovação dos governadores das UFs que compõe o grupo  

Durante a manhã desta quarta-feira (12), técnicos ligados a Assistência Técnica e Extensão Rural (ATER) das sete Unidades Federativas que compõe o Consórcio Interestadual de Desenvolvimento do Brasil Central realizaram reunião por videoconferência para definir diretrizes e metas do projeto Modelo Integrado de Ater do BrC. A iniciativa é desenvolvida pelo Consórcio em parceria com a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) e com o apoio da Associação Brasileira das Entidades Estaduais Assistência Técnica e Extensão Rural (Asbraer).

O Consórcio trabalha na construção da proposta do projeto desde fevereiro. Durante o encontro os representantes definiram que, para otimizar recursos, a cadeia produtiva da piscicultura será trabalhada como um piloto para a implementação do projeto. Também foi definido que o projeto será realizado em três grandes etapas.

A piscicultura foi a cadeia produtiva escolhida para iniciar a implementação do projeto do BrC. Foto: Tânia Rêgo/Agência Brasil

A primeira etapa é a abordagem inicial na qual será realizado um levantamento de boas práticas realizadas nos entes consorciados que podem ser replicadas para todo o bloco. Em seguida será realizada a fase de captação. A ideia é que primeiramente o treinamento ou reciclagem seja feito com os técnicos de ATER e depois se estenda aos pequenos e médios produtores. A previsão é que o projeto forme 70 técnicos, 10 de cada Unidade Federativa, e 350 produtores de toda a região. Nesta fase também será implementada uma plataforma de aprendizagem a distância. A terceira fase é o desenvolvimento de mercado.

O objetivo de desenvolver um modelo integrado de ATER na região é privilegiar a difusão de tecnologias, a transferência de conhecimento, o incentivo ao empreendedorismo e a gestão da propriedade familiar. O projeto vai assessorar pequenos e médios produtores com o foco no aprimoramento das cadeias produtivas.

Agora que foi aprovada pelos representantes de ATER dos estados, a proposta do projeto será submetida para aprovação do Conselho de Administração e em seguida será analisada pelos governadores que representam as Unidades Federativas do Brasil Central. A pretensão do Consórcio é que a primeira fase seja iniciada até setembro.